Pressão Alta (HAS – Hipertensão Arterial Sistêmica), o que é?

Uma das doenças que mais acomete as pessoas e é popularmente chamada de pressão alta, é a Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS). O coração bombeia sangue para todos os órgãos do corpo, através de uma rede de tubos chamados artérias. A tensão gerada ou força gerada na parede das artérias é chamada pressão arterial.

A hipertensão arterial ou ¨pressão alta¨ é a elevação da pressão arterial para números acima dos valores considerados normais, o que pode causar inúmeros problemas de saúde.

Nos livros científicos a definição que temos é: a hipertensão arterial sistêmica (HAS) é uma condição clínica multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados de pressão arterial – PA (PA ≥140 x 90mmHg). Associa-se, frequentemente, às alterações funcionais e/ou estruturais dos órgãos-alvo (coração, encéfalo, rins e vasos sanguíneos) e às alterações metabólicas, com aumento do risco de eventos cardiovasculares fatais e não fatais.

A HAS é um grave problema de saúde pública no Brasil e no mundo. Sua prevalência no Brasil varia entre 22% e 44% para adultos (32% em média), chegando a mais de 50% para indivíduos com 60 a 69 anos e 75% em indivíduos com mais de 70 anos.

Estudos estimam que a prevalência global da HAS seja de um bilhão de indivíduos, acarretando aproximadamente 7,1 milhões de mortes ao ano no mundo. Na Alemanha, a HAS atinge 55% da população adulta, sendo o país com maior prevalência no continente europeu, seguido da Espanha com 40% e da Itália, com 38% da população maior de 18 anos hipertensa.

A HAS está na origem de muitas doenças crônicas não transmissíveis e, portanto, caracteriza-a como uma das causas de maior redução da expectativa e da qualidade de vida dos indivíduos Em 2001, cerca de 7,6 milhões de mortes no mundo foram atribuídas à elevação da PA (54% por acidente vascular encefálico e 47% por doença isquêmica do coração), ocorrendo a maioria delas em países de baixo e médio desenvolvimento econômico e mais da metade em indivíduos entre 45 e 69 anos

Nesse contexto, entende-se que nos serviços de AB um dos problemas de saúde mais comuns que as equipes de Saúde enfrentam é a HAS e que existem dificuldades em realizar o diagnóstico precoce, o tratamento e o controle dos níveis pressóricos dos usuários. Estudos apontam que em países com redes estruturadas de AB, 90% da população adulta consulta, pelo menos uma vez ao ano, seu médico de família. Mesmo assim, existem dificuldades no diagnóstico e no seguimento ao tratamento.

 

O que faz mal para a sua pressão?

 

  • Má alimentação: ingestão excessiva de sal e gorduras predispõe o aumento da pressão arterial, aumentando o nível de colesterol, que também causa doenças do coração.
  • Obesidade: pessoas com excesso de peso tem maior probabilidade de desenvolver a hipertensão. Procure saber qual é seu normal em relação a sua idade, altura e sexo. Se estiver acima, consulte seu medico sobre um programa de exercícios e dieta saudável.
  • Diabetes: quem tem Diabetes pode sofrer de hipertensão. Essa combinação aumenta os riscos de doenças cardíacas e renais.
  • Idade: quem tem mais que 35 anos deve controlar sempre sua pressão, pois o risco aumenta com a idade.
  • Raça: pessoas da raça negra tem mais propensão à pressão alta
  • Historia familiar: se na sua família há casos de hipertensão, você pode ter tendencia ao problema. Comunique a seu medico.
  • Abuso de álcool: estudos demonstram que o abuso de álcool pode estar associado à pressão alta. O significado de ¨abuso¨ pode diferenciar de pessoa para pessoa, dependendo do peso, hábitos alimentares e hereditariedade. De qualquer maneira, recomenda-se moderação.
  • Vida sedentária: a falta de exercícios regulares aumenta a probabilidade de excesso de peso, significando um fator de risco para o desenvolvimento da hipertensão.
  • Cigarro: o hábito de fumar é um fator de risco para a elevação da pressão arterial.

 

A hipertensão arterial sistêmica (HAS) apresenta alta morbimortalidade (incidência de doenças e/ou morte numa população), com perda importante da qualidade de vida, o que reforça a importância do diagnóstico precoce.

O diagnóstico não requer tecnologia sofisticada, e a doença pode ser tratada e controlada com mudanças no estilo de vida, com medicamentos de baixo custo e de poucos efeitos colaterais, comprovadamente eficazes e de fácil aplicabilidade na Atenção Básica (AB) ou no seu medico particular. Além do diagnóstico precoce, o acompanhamento efetivo dos casos pelas equipes da AB é fundamental, pois o controle da pressão arterial (PA) reduz complicações cardiovasculares e desfechos como Infarto Agudo do Miocárdio (IAM), Acidente Vascular Cerebral (AVC), problemas renais, entre outros.

Um dos maiores complicadores da doença está explicita em um apelido nada agradável, ¨assassina silenciosa¨ pois um dos fatores que dificultam o diagnostico é que em muitos casos não se sente nada por um longo período enquanto a doença já está instalada, e como muitas pessoas tem mania de ir ao medico ou cuidar da saúde apenas quando está sentindo alguma coisa isso se torna uma fator agravante para o diagnostico precoce.

Como saber se tenho pressão alta?

hipertensao

 

Rastreamento – Todo adulto com 18 anos ou mais de idade, quando vier à Unidade Básica de Saúde (UBS) ou em seu medico particular para consulta, atividades educativas, procedimentos, entre outros, e não tiver registro no prontuário de ao menos uma verificação da PA nos últimos dois anos, deverá tê-la verificada e registrada.

A primeira verificação deve ser realizada em ambos os braços. Caso haja diferença entre os valores, deve ser considerada a medida de maior valor. O braço com o maior valor aferido deve ser utilizado como referência nas próximas medidas. O indivíduo deverá ser investigado para doenças arteriais se apresentar diferenças de pressão entre os membros superiores maiores de 20/10 mmHg para as pressões sistólica/diastólica, respectivamente. De acordo com a média dos dois valores pressóricos obtidos, a PA deverá ser novamente verificada:

 

– a cada dois anos, se PA menor que 120/80 mmHg;

– a cada ano, se PA entre 120 – 139/80 – 89 mmHg nas pessoas sem outros fatores de risco para doença cardiovascular; 

– em mais dois momentos em um intervalo de 1 – 2 semanas, se PA maior ou igual a 140/90 mmHg ou PA entre 120 – 139/80 – 89 mmHg na presença de outros fatores de risco para doença cardiovascular.

 

Sempre que possível, a medida da PA deverá ser realizada fora do consultório médico para esclarecer o diagnóstico e afastar a possibilidade do efeito do avental branco no processo de verificação. Processo esse que se dá pelo simples fato da pessoa ficar nervosa por ter um profissional da saúde, na maioria das vezes usando um jaleco branco, aferindo (ato de verificar) sua pressão.

O diagnóstico da HAS consiste na média aritmética da PA maior ou igual a 140/90 mmHg, verificada em pelo menos três dias diferentes com intervalo mínimo de uma semana entre as medidas, ou seja, soma-se a média das medidas do primeiro dia mais as duas medidas subsequentes e divide-se por três. A constatação de um valor elevado em apenas um dia, mesmo que em mais do que uma medida, não é suficiente para estabelecer o diagnóstico de hipertensão.

Cabe salientar o cuidado de se fazer o diagnóstico correto da HAS, uma vez que se trata de uma condição crônica que acompanhará o indivíduo por toda a vida. Deve-se evitar verificar a PA em situações de estresse físico (dor) e emocional (luto, ansiedade), pois um valor elevado, muitas vezes, é consequência dessas condições.

Classificação da pressão arterial para adultos maiores de 18 anos
Classificação Pressão sistólica (maior) Pressão diastólica (menor)
Ótima < 120 < 80
Normal < 130 < 85
Limítrofe 130 – 139 85 – 89
Hipertensão estagio 1 140 – 159 90 – 99
Hipertensão estagio 2 160 – 179 100 – 109
Hipertensão estagio 3 ⥸ 180 ⥸ 110

Fonte: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica.

 

Como controlar sua pressão e ter uma vida saudável, sem riscos:

 

  • Alimente-se bem. Prefira saladas, legumes, alimentos preparados com pouca gordura e pouco sal.
  • Faça exercícios físicos constantemente. Prefira escadas ao invés do elevador, caminhe mais, escolha atividade física de sua preferencia. Uma caminhada de 30 minutos por dia já reduz o risco de pressão alta.
  • Não fume.
  • Minimize o uso de álcool.
  • Mantenha o peso ideal.
  • A tensão do dia-a-dia também pode elevar sua pressão arterial. Encontre sua maneira de viver com mais qualidade e menos estresse.
  • Controle sua pressão periodicamente. Vá a um medico ou a uma unidade básica de saúde mais próxima de sua residencia. Anote em um cartão de controle sua pressão para ver se não estão ocorrendo alterações.
Modificações do estilo de vida no controle da pressão arterial (PA)
Modificaçao Recomendaçao Reduçao aproximada na PA
Reduçao de peso Manter o peso corporal na faixa normal ( indice de massa corporal entre 18,5 a 24,9 Kg/m2) 5 a 20 mmgh para cada 10 kg de peso reduzido
Alimentaçao saudavel Alimentaçao rica em frutas e vegetais. E pobre em gordura toral e sarturada 8 a 14 mmhg
Reduçao no consumo de sal Reduzir a ingestao de sódio (sal) para nao mais de 6 gramas de sal por dia = 4 colheres de café rasas de sal 2 a 8 mmhg
Atividade fisica Habituar-se à pratica regular de atividade fisica aerobica, como caminhadas por pelo menos 30 minutos por dia, 3 a 5 vezes na semana 4 a 9 mmhg
Moderaçao do consumo de alcool É aconselhável evitar o consumo de bebidas alcoólicas. Quando não for possível, recomenda-se que consumo de álcool não ultrapasse 30ml de etanol/dia  (90ml de destilados, ou 300ml de vinho ou 720ml de cerveja), para homens e, 15ml de etanol/dia para mulheres e indivíduos de baixo peso. 2 a 4 mmhg

Cuide-se. Voce vai ver como sua vida vai mudar para melhor.

 

Atenção: O objetivo deste blog é apenas informativo e voce nunca deve deixar de visitar e seguir as orientaçoes de um profissional medico.

Tenha um dia fantástico!!!

Recomendados Para Você:

Um comentário em “Pressão Alta (HAS – Hipertensão Arterial Sistêmica), o que é?

Deixe uma resposta